Reflexões relativas ao processo de trabalho permeiam a Semana da Enfermagem em Sorocaba – Coren-SP

Reflexões relativas ao processo de trabalho permeiam a Semana da Enfermagem em Sorocaba

As questões trabalhistas relacionadas ao exercício profissional da enfermagem pautaram o evento da Semana da Enfermagem 2017 do Coren-SP realizado na PUC (Pontifícia Universidade Catolica) de Sorocaba, na manhã desta quinta-feira (11/5).


O vice-presidente do Coren-SP falou sobre a terceirização e suas consequências

Após a abertura oficial, com direito a cerimônia da entrada da lâmpada da enfermagem, houve uma homenagem a profissionais com carreiras de destaque da região de abrangência da subseção de Itapetininga do Coren-SP (que inclui Sorocaba). A professora e enfermeira Maria Brioschi Furlan e a auxiliar de enfermagem Delair Aleixo de Oliveira foram as escolhidas.


A segunda-secretária do Coren-SP, Rosângela de Mello, entrega homenagem à auxiliar de enfermagem Delair Aleixo de Oliveira

A programação de palestras teve início com o tema “Terceirização na enfermagem: implicações técnicas, éticas e legais”, conduzido pelo vice-presidente do Coren-SP, Mauro Antônio Pires Dias da Silva. “A precarização das condições de trabalho da enfermagem não está apenas na terceirização. Está também no emprego formal. Com os baixos salários, o profissional muitas vezes não consegue nem mesmo se atualizar”, refletiu.


O evento contou com uma divertida apresentação teatral feita por profissionais de saúde

Após uma apresentação teatral e um breve intervalo, a programação continuou com a mesa-redonda “Saúde do Trabalhador”, moderada pela enfermeira Jéssica Alessandra Pereira e que contou com as participações do enfermeiro Fábio José da Silva, profissional do Hospital Universitário da USP e membro do Grupo de Trabalho (GT) de Saúde do Trabalhador do Coren-SP; da enfermeira Daniela Valentim dos Santos, da secretaria de saúde de Sorocaba e do administrador Laudelino Amaral Sanematsu.

Fábio José discorreu, entre outras coisas, sobre um fenômeno preocupante e que apenas recentemente vem sendo estudado e compreendido: o presenteísmo. “Presenteísmo se caracteriza pela presença do profissional no seu lugar de trabalho, mas sem condições de saúde para desempenhar adequadamente suas funções”, explicou.

O tema “Violência no ambiente de trabalho” foi trazido pela enfermeira Daniela Valentim. Ela chamou a atenção para a necessidade da criação de mecanismos para a condução e notificação de eventuais casos de violência contra profissionais de saúde ocorridos no ambiente de trabalho. “Nosso planejamento estratégico e nossa gestão de risco devem envolver a previsão dos casos de violência”, recomendou. 

Após as palestras houve uma rodada de discussões com perguntas e respostas do público e premiação de trabalhos apresentados por participantes.

Acesse aqui a programação da Semana da Enfermagem e inscreva-se gratuitamente.