Presidente do Coren-SP fala sobre “Bioética e Enfermagem” no HCor – Coren-SP

Presidente do Coren-SP fala sobre “Bioética e Enfermagem” no HCor

A atuação da enfermagem nos serviços de saúde envolve diversos valores e conceitos que interferem na conduta ética do exercício profissional. A presidente do Coren-SP, Fabíola Campos, abordou esta problemática na palestra “Bioética e Enfermagem”, no Hospital do Coração (HCor), em São Paulo, na última quinta-feira (8), à convite do Comitê de Bioética da instituição.

Fabíola Campos palestrou sobre Bioética e Enfermagem

Fabíola introduziu o tema destacando a necessidade de se resgatar princípios como a dignidade e os sentimentos, que têm sido colocados de lado nas relações humanas, de forma geral. “Nós, que atuamos diretamente com o ser humano, não podemos deixar esses valores se perderem. O compromisso com o outro vai além da relação com o paciente, mas envolve também a equipe e a instituição”.

A presidente também abordou a importância de as equipes de saúde estarem preparadas lidar com mudanças de diversas ordens que interferem no cotidiano da assistência. Como exemplo, citou o Programa de Saúde da Família, que envolve muitos sujeitos e interfaces e exigiu da enfermagem uma nova forma de trabalhar em equipes multiprofissionais; e o tratamento à diversidade de gênero do ponto de vista do acolhimento dos pacientes e combate ao preconceito. “Em muitos casos, as leis não foram adaptadas para contemplar esse tipo de mudança. Então, temos que buscar transpor essas necessidades”, disse.

O exercício profissional no Atendimento Pré-Hospitalar também envolve muitos aspectos no campo da bioética. Fabíola destacou a necessidade de regulamentação da atuação da enfermagem no Suporte Intermediário de Vida (SIV), tendo em vista que os enfermeiros estão assumindo um papel de protagonismo neste serviço, porém diante de muitos impasses, como os tipos de procedimentos que devem realizar. “O SIV não existe juridicamente . Foi implementado para atender à demanda. Por isso, criamos um Grupo de Trabalho para discutir o tema”, informou.

Ainda sobre a prática da bioética, a presidente frisou que ela deve se dar de forma interdisciplinar e com o compartilhamento dos saberes entre os profissionais das diversas áreas, e ainda se pautar pelos valores de justiça, autonomia, beneficência e não maleficência.

Presidente do Coren-SP (ao centro) com participantes da palestra

O presidente do Comitê de Bioética do HCor, médico Antônio Gimenes, elogiou a participação e envolvimento da enfermagem nas discussões. “Os profissionais de enfermagem têm participação expresiva no Comitê e isso é muito importante, porque eles estão dia a dia próximos do paciente, lidando com seus problemas”, afirmou.