Paulina Kurcgant fala sobre liderança e gestão em encontro com Responsáveis Técnicos – Coren-SP

Paulina Kurcgant fala sobre liderança e gestão em encontro com Responsáveis Técnicos

O auditório do Coren-SP, na capital, ficou lotado de enfermeiros Responsáveis Técnicos (RTs) nesta terça-feira (28/3),  durante o    “Encontro de Responsáveis Técnicos: Gerenciamento em Enfermagem com Foco na Liderança”. Especialista e referência no assunto, a Profª Paulina Kurcgant ministrou uma palestra sobre “Capacitação do enfermeiro para a liderança em enfermagem”

Maria Cristina Massarollo, Fabíola Campos e Martha Rejane Silva Augusto

A presidente da autarquia, Fabíola de Campos Braga Mattozinho, destacou a complexidade do assunto em questão durante a mesa de abertura, frisando que o gerenciamento em enfermagem envolve “o aspecto relacional, as atitudes, as novidades tecnológicas e os novos contextos, como a terceirização e as Organizações Sociais (OS) nos serviços de saúde, com os quais devemos saber lidar”.

Ela também destacou a importância da participação. “Gestão se faz dando vozes às pessoas e vocês (Responsáveis Técnicos) , que são responsáveis por suas equipes, devem estar preparados para isso, trabalhando o contexto que é melhor para todos os envolvidos”, disse Fabíola.

Também participaram da mesa a conselheira Maria Cristina Komatsu Massarollo, representando as Câmaras Técnicas do Coren-SP, e a enfermeira Martha Rejane Silva Augusto, coordenadora de qualidade assistencial do sistema Unimed Nacional e presidente da Sociedade Brasileira de Gerenciamento de Enfermagem (Sobragen), que explicou como a responsabilidade técnica perpassa a atuação do enfermeiro. “Independentemente de sermos RTs nas instituições, somos todos responsáveis técnicos por nossos atos e nossas condutas”.

A primeira atividade do encontro foi a mesa-redonda “Prática da liderança em enfermagem em diferentes níveis de atenção à saúde”. A atenção primária foi representada por Rosana Aparecida Garcia, coordenadora do GT de Atenção Básica e coordenadora na Secretaria Municipal de Saúde de Campinas, que expôs a necessidade de um bom líder saber ouvir.  “A flexibilização e o saber ouvir são fundamentais. Temos que ter, como líderes, a humildade de ouvir o outro”.

Mesa-redonda “Prática da liderança em enfermagem em diferentes níveis de atenção à saúde”

Saber lidar com pessoas é uma competência fundamental para um gestor e foi sobre isso que falou a enfermeira Andrea Cotait Ayoub, diretora da divisão de enfermagem do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e representante da atenção hospitalar na mesa-redonda. “É importante termos tato e conhecimento dos direitos e deveres de cada um, para não corrermos o risco de sermos injustos”.

Luiza Watanabe, coordenadora do grupo de estudos sobre Assistência Domiciliar do Núcleo Metropolitano São Paulo (Numesp), abordou os desafios e as especificidades da gestão na atenção domiciliar. “Não tivemos, como enfermeiros, formação para atuar na casa do paciente. Temos muitas questões para atender, inclusive as regionais, pois um atendimento em São Paulo é diferente de um atendimento no nordeste, por exemplo, onde as pessoas dormem, muitas vezes, em redes e não criam lesões por pressão”.

Após as apresentações houve um breve debate coordenado por Maria Madalena Januário Leite, professora da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EE-USP) e por Wilza Carla Spiri, professora da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

Liderança e gestão

A conferência “Capacitação do enfermeiro para a liderança em enfermagem”, ministrada pela professora (EE-USP) Paulina Kurcgant, apresentou a liderança em enfermagem ao longo das décadas, de 1950 até hoje. “Na saúde, foi a enfermagem, em nível mundial, que começou a capacitação de pessoal em serviço”, explicou.

Paulina Kurcgant falou sobre liderança e gestão 

Sobre a liderança nos dias de hoje, ela frisou que a enfermagem precisa de um maior desenvolvimento da dimensão ético-política, se quiser se sobressair dentro das instituições de saúde. Ela também enfatizou que “o líder que decide tudo sozinho e não ouve os seus liderados não é um líder inteligente. Os tempos atuais pedem a divisão da responsabilidade da liderança entre todos os membros da equipe”.

Após a conferência, houve abertura para questões e dúvidas levantadas pela plateia, em um momento interativo coordenado por Martha Rejane Silva Augusto e secretarido por Ivany Machado. 

Fabíola Campos, Paulina Kurcgant e Maria Cristina Massarollo

O evento foi encerrado pela conselheira Maria Cristina Massarolo. “O tema liderança é bastante complexo, mas muito presente no cotidiano de todos os enfermeiros”, lembrou.

A palestra da Profª Paulina Kurcgant foi transmitida ao vivo na página do Coren-SP no Facebook.