Enfermeiras adotam a canoagem como hobby – Coren-SP

Enfermeiras adotam a canoagem como hobby

 

Foi nas correntezas do Rio Casqueiro, no município de Cubatão, que Tatiane Ilek conquistou a resistência física que hoje é fundamental na sua vida profissional. Antes da paixão pela Enfermagem, veio o interesse pela canoagem. Tatiane tem uma rotina muito intensa de trabalho. Ela se divide entre os plantões no Samu de Cubatão e as auditorias realizadas para dois planos de saúde. “No Samu atendo as ocorrências e no outro analiso os procedimentos usados nas internações. Se achar que há algo errado tenho que discutir com a enfermeira do hospital por que determinado material foi usado. Lido muito com números e valores e o convênio cobra esse resultado”.

Força e resistência: remada garante melhor desempenho em atividades cotidianas da enfermagem, como levantar peso

Para evitar o estresse, sempre que é possível a enfermeira busca tranquilidade nas remadas. “No meio do rio não pode levar celular, então ninguém me incomoda. Encontro realmente a paz, pois é um momento só para mim”, conta Tatiane, que já foi atleta profissional e hoje tem a canoagem como um hobby. Tatiane começou a praticar o esporte aos 16 anos e, ao obter um bom desempenho, passou a representar o município de Cubatão em campeonatos oficiais, integrando também a seleção brasileira. Conquistou o primeiro lugar nos campeonatos brasileiro e paulista, e foi vice-campeã sul-americana.

Em 2007, participou do revezamento da Tocha dos Jogos Pan-Americanos, em Santos, representando a modalidade náutica. Nesse período, colecionou medalhas e adquiriu habilidades que se refletem diretamente no serviço prestado nas instituições de saúde. “O remo proporciona um fortalecimento muscular que ajuda a subir escadas e atuar com mais agilidade, fatores importantíssimos na área do pronto-atendimento”.

À moda havaiana

De remada em remada a enfermeira Marisa Aparecida Paganini navega rumo a uma vida mais leve e saudável. Adepta da canoa havaiana, ela divide a prática do esporte em seu dia a dia com o trabalho na área de planejamento em saúde da prefeitura de Santos. Marisa iniciou sua carreira na Secretaria de Estado da Saúde, aposentou-se e prestou concurso na Prefeitura de Santos. Nessa fase de retomada, decidiu dar vazão ao seu gosto pelo mar e esportes náuticos.

Marisa Aparecida Paganini é adepta da canoa havaiana

A enfermeira fez uma aula experimental e desde então o esporte se tornou uma paixão. Isso explica o fato de praticá-lo às 5h30 da manhã, duas vezes durante a semana, e às 8h30 aos sábados, mesmo durante o inverno. “Praticar canoa havaiana nos proporciona presenciar o amanhecer. Por mais difícil que seja a remada, a adrenalina e as coisas que a gente vive no mar são tão boas que aliviam o trabalho e cansaço do dia”.

Por ser um esporte coletivo, a união é fator determinante para o sucesso da atividade. Essas características fazem com que Marisa se identifique ainda mais com seu hobby, pois elas reproduzem fundamentos e valores da enfermagem. “A enfermagem é um trabalho em equipe. Se você não estiver sincronizado, estará incorrendo em mais chances de erros. A canoa é assim, exige união, parceria e cumplicidade”. 

]

A canoa havaiana, assim como a enfermagem, exige o trablho em equipe