Encontro aborda o cotidiano da Enfermagem Forense – Coren-SP

Encontro aborda o cotidiano da Enfermagem Forense

A palestra “Atuação do Enfermeiro como Perito Judicial e Assistente Técnico” abriu os trabalhos no período da tarde de quinta-feira (1/9), com o perito do Paraná Fabiano Abucarub relatando um pouco do seu dia a dia. A mediação foi da enfermeira Eduarda Ribeiro dos Santos.


A enfermeira Eduarda dos Santos mediou a mesa do perito Fabiano Abucarub, do Paraná
 

Fabiano falou de sua experiência em diversos tipos de casos. “Às vezes, sou contratado por advogados para saber se devem ou não pegar alguma ação trabalhista, pois precisam se certificar se o cliente deles tem razão em processar a empresa por insalubridade, por exemplo”, destacou.

A mesa temática “Prática Forense no IML”

Na sequência, foi realizada a mesa temática “Prática Forense no IML”, com os palestrantes Paulo Sergio Tieppo Alves (Tipos de perícias realizadas no IML), Gustavo de Alarcon Pinto (Cadeia de custódia) e José Fiusa Lima Neto (A inserção do enfermeiro no IML). A mesa foi moderada pelo conselheiro Alessandro Lopes Andrighetto, que é enfermeiro e advogado.

A mesa temática “Prática Forense na Saúde da Mulher”

A mesa “Prática Forense na Saúde da Mulher” trouxe assuntos de extrema importância e atualidade. Conceituando a violência sexual, com o médico Theo Lerner, quebrou alguns paradigmas comuns em relação ao tema. “Desde 2009 a legislação brasileira reconhece que o homem também pode ser estuprado, ou seja, não é mais uma questão exclusiva da mulher”, esclareceu. 

Completaram a mesa o enfermeiro Aloísio Olímpio, com o tema O impacto da Enfermagem Forense para as mulheres em situação de violência, e a enfermeira Ana Cristina Fernandes Silva, que falou sobre O Projeto “Bem Me Quer”, que ampara vítimas de abuso sexual no Hospital Pérola Byington – Centro de Referência em Saúde da Mulher, na capital.


A mesa “Prática Forense na Urgência e Emergência”

O evento foi finalizado com a mesa “Prática Forense na Urgência e Emergência”. Carlos Eduardo de Paula, membro do Grupo de Trabalho de Urgência e Emergência do Coren-SP, falou sobre “Morte Evidente em APH”. O perito Júlio Ponce, da polícia científica, explicou como se dá a “Preservação de Vestígios em cena de crime”. A moderação foi do primeiro-tesoureiro do Coren-SP, Vagner Urias, que é enfermeiro no SAMU de São Paulo.