Desagravo público: Coren-SP demonstra apoio a profissionais vítimas de violência em Campinas – Coren-SP

Desagravo público: Coren-SP demonstra apoio a profissionais vítimas de violência em Campinas

O combate à violência praticada contra os profissionais de enfermagem é uma das principais bandeiras do Coren-SP. Visando oferecer apoio às vítimas de agressão, o Conselho realiza desde 2015 o desagravo público. Nesta sexta-feira (17/02), foi realizada uma sessão solene em Campinas, conduzida pelo vice-presidente da autarquia, Mauro Antônio Pires Dias da Silva, e pelo primeiro-secretário, Marcus Vinicius de Lima de Oliveira.


O vice-presidente do Coren-SP, Mauro Antônio Pires Dias da Silva, e o primeiro-secretário da autarquia, Marcus Vinicius de Oliveira, conduziram a sessão solene

Regulamentado pela Resolução Cofen 433/2012, o desagravo público é uma manifestação do Conselho Regional de Enfermagem em favor de profissionais que tenham sofrido qualquer tipo de agressão, física ou verbal, ou assédio por parte de pacientes ou profissionais de outras áreas durante o seu exercício profissional.  “A enfermagem precisa ser empoderada e o desagravo público é um instrumento para isso”, disse Marcus Vinicius.

O primeiro desagravo contemplou o pedido do enfermeiro Luciano Robson dos Santos, que no dia 21/9/2014 foi agredido verbalmente pela médica Sandra Cristina Azevedo. As ofensas foram feitas pessoalmente e por meio de mídias sociais. A profissional era colega de trabalho de Luciano na UPA de Indaiatuba, cidade do interior de São Paulo.


O enfermeiro Luciano Robson dos Santos foi um dos desagravados em Campinas

Segundo Luciano, não havia médicos disponíveis para atender as crianças na unidade e os pais começaram a reclamar pela demora. Ao chegar, a médica culpou a equipe de enfermagem pelo atraso e se manifestou através de agressão verbal. Alguns dias depois ela fez ameaças a Luciano, inclusive de agressão física, por meio das mídias sociais. “Eu não poderia deixar passar um agravo como o que sofri. Eu precisava dar uma resposta à minha equipe de enfermagem. O profissional, que trabalha muitas vezes em dois empregos, exige respeito”, bradou Luciano Robson dos Santos em seu discurso de desagravo.


Esta foi a segunda Sessão Solene de Desagravao Público realizada em Campinas pelo Coren-SP

O segundo desagravo foi em favor da enfermeira Laura Bacelar Lourenço, do Hospital do Coração de Campinas. A equipe de enfermagem da UTI sofreu acusações por parte da médica Renata Rivera Ferreira, que estava na instituição como acompanhante de sua mãe, paciente da unidade. Ela acusou a postura dos profissionais de enfermagem dentro do ambiente de trabalho, agrediu verbalmente a profissional da equipe dentro do ambiente da UTI e constrangeu profissionais para que repassassem informações a respeito da paciente, contrariando as normas preconizadas pela instituição.

O Coren-SP realiza o desagravo público desde 2015. Além das sessões, as notas de desagravo são publicadas nos meios de comunicação do Conselho, como o site, a revista e as mídias sociais, para conhecimento público. “O desagravo é uma manifestação para proteger a constituição da enfermagem, que, infelizmente, é frágil em alguns casos”, explicou o vice-presidente Mauro Antônio. 

Os Desagravos

As dua notas de desagravos públicos podem ser lidas, na íntegra, nos links abaixo:

Desagravo por ofensas contra a enfermeira Laura Bacelar de Araújo Lourenço

Desagravo por ofensas contra o enfermeiro Luciano Robson dos Santos