Coren-SP promove evento multidisciplinar em apoio ao Outubro Rosa – Coren-SP

Coren-SP promove evento multidisciplinar em apoio ao Outubro Rosa

A multidisciplinaridade na saúde da mulher e no tratamento e prevenção do câncer foi o tema central do evento do Outubro Rosa, promovido pelo Coren-SP na última segunda-feira (23/10) no Coren-SP Educação. O evento contou com a participação da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional de São Paulo (Crefito-3) e do Conselho Federal de Educação Física.

Fabíola Campos enfatizou a importância do trabalho em equipe multiprofissional na área da saúde

A presidente do Coren-SP, Fabíola Campos, destacou a importância do trabalho em equipe. “Fizemos um evento multiprofissional pensando na atual situação da saúde pública, que é interdisciplinar e tem espaço para todos, sendo, portanto, uma construção coletiva. Precisamos fazer uma defesa insistente e intermitente do Sistema Único de Saúde”, disse a presidente do Coren-SP, Fabíola Campos.

Seguindo o mote principal do evento, a primeira palestra, da médica oncologista Marineide Prudêncio de Carvalho, da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, focou a prevenção do câncer de mama. A médica fez questão de ressaltar que esse processo está em nossas mãos: tudo depende de nossos hábitos e de algumas escolhas. “Nós temos a possibilidade de fazer a prevenção dos fatores de risco”, expôs Marineide antes de listar itens que se deve observar e controlar: obesidade, alcoolismo, tabagismo, exposição à radiação ultravioleta e exposição ao HPV.

José Renato de Oliveira representou a fisioterapia

O fisioterapeuta José Renato de Oliveira Leite, presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional de São Paulo (Crefito-3) foi o segundo palestrante. Ele detalhou o papel da fisioterapia no processo de recuperação do paciente oncológico, sobretudo no período pós-cirúrgico. “Atuamos de três formas: avaliação do paciente, conduta fisioterapêutica e educação do paciente”, explicou, acrescentando que “a atuação da fisioterapia atualmente, em conjunto com outras áreas, diminui muito a presença de complicações como linfoedemas, por exemplo”.

Quem trouxe um pouco do papel da enfermagem no tratamento do câncer de mama foi a enfermeira Kézia Silva Rezende Badega, que trabalha na unidade de oncologia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Ela destacou que a enfermagem trabalha muito além da assistência: “É responsabilidade do profissional de saúde fornecer informações, sobretudo à população que tem menos acesso à informação”, explicou.

Vagner Urias, conselheiro primeiro-tesoureiro do Coren-SP fez o encerramento do evento

A programação foi concluída com uma exposição sobre o trabalho da Educação Física com pacientes com câncer. Quem palestrou foi Jorge Steinhilber, presidente do Conselho Federal de Educação Física. Ao contrário do que diz o senso comum, ele deixou claro que a atividade física pode trazer malefícios quando mal executada. Daí a importância da orientação de um profissional habilitado. “A prática pela prática pode levar à violência, causar lesões físicas e psicológicas, além de outros malefícios. A prática que leva a benefícios é a prática orientada”, finalizou.