Coren-SP participa do lançamento do Fórum Mais Enfermagem para o Brasil, na USP – Coren-SP

Coren-SP participa do lançamento do Fórum Mais Enfermagem para o Brasil, na USP

O Coren-SP participou do lançamento do Fórum ‘Mais Enfermagem para o Brasil’, em evento realizado na tarde desta quinta-feira (5/4) na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP), na capital.

Jefferson Caproni parabenizou os coordenadores do Fórum pela iniciativa

Segundo os organizadores do fórum, ele nasce para abrir e ampliar o debate qualitativo e quantitativo na Enfermagem e buscará a interação com os órgãos e entidades ligadas à profissão (Conselhos de Enfermagem, Sindicatos, Associações, Organizações Assistenciais de Saúde e Instituições de Ensino).

Profissionais de enfermagem assistiram o evento de lançamento do Fórum Mais Enfermagem para o Brasil

Com o trabalho voltado a quatro grandes pilares, o fórum terá como objetivo contribuir para o desenvolvimento da enfermagem no Brasil dentro dos temas propostos. Os quatro pilares são: Formação, Escopo de Atuação da Enfermagem, Qualidade de Vida do profissional de enfermagem e Cidadania.

“Este fórum é o resultado de um trabalho que se iniciou em 2017 e que busca mobilizar nossa categoria, composta por enfermeiros, técnicos, auxiliares de enfermagem e obstetrizes. É uma grande categoria que infelizmente ainda não tem o devido reconhecimento e sofre com condições adversas”, disse João Batista de Freitas, um dos coordenadores do fórum.

Além de Freitas, a iniciativa conta com a coordenação de Angelo D’Agostini Jr., Ana Maria Costa Carneiro, Ideraldo Luiz Beltrami e Vanessa Soares de Freitas.

O primeiro-tesoureiro do Coren-SP, Jefferson Caproni, representou a autarquia na solenidade, parabenizando os coordenadores do fórum e colocando o Conselho à disposição dos profissionais. “Devemos falar do reconhecimento da enfermagem, além da valorização. É inadmissível, por exemplo, que os profissionais da nossa área ainda descansem em banheiros e espurgos. Ter um local de descanso é o mínimo para nossos trabalhadores que diariamente estão adoecendo”, citou Jefferson, entre outros exemplos de situações críticas vividas pelos profissionais de enfermagem.