Coren-SP participa da da III Conferência Internacional sobre Gerenciamento de Recursos Humanos em Enfermagem – Coren-SP

Coren-SP participa da da III Conferência Internacional sobre Gerenciamento de Recursos Humanos em Enfermagem

A segurança do paciente e a saúde do trabalhador foram os eixos temáticos adotados na “III Conferência Internacional de Pesquisa em Gerenciamento de Recursos Humanos em Enfermagem e em Saúde: Segurança do Paciente e Saúde do Trabalhador”, realizada nos dias 21 e 22/11, no anfiteatro da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (EE-USP), fruto de uma parceria entre a a USP e o Coren-SP.

A presidente do Coren-SP, Fabíola Campos, foi uma das palestrantes da conferência, além de participar da mesa de abertura.

Em sua fala, com o tema “Responsabilização institucional e profissional frente à segurança do paciente”, ela fez uso de sua experiência como enfermeira e advogada para explicar os aspectos jurídicos relacionados aos erros de enfermagem e propôs uma reflexão sobre a necessidade de protagonismo político da categoria. “Discutimos muito a valorização da nossa profissão, mas será que nós nos valorizamos?”, indagou.

Ao falar sobre o aspecto jurídico, ela defendeu que a utilização do termo “erro evitável” é inadequada no contexto legal. “Esse termo pressupõe culpa do profissional, afinal o erro foi evitável. É uma expressão que pode causar equívocos e direcionar os juízes, por exemplo”.

Dentro da programação internacional da Conferência, o destaque foi a palestra da enfermeira e pesquisadora argentina Genoveva Elizabeth Ávila, da Universidade de Córdoba, que palestrou sobre “Cultura de segurança do paciente e segurança no ambiente de trabalho”.

Ela destacou, entre outras coisas, a necessidade dos pacientes assumirem a co-responsabilidade pela sua própria saúde, junto com os profissionais da equipe multidisciplinar.

Em relação à gestão de recursos humanos, ela frisou que para a implantação de uma cultura de segurança em um ambiente hospitalar, se faz necessária uma estratégia de fidelização da equipe profissional e de gestão de talentos e comportamentos. Desta forma, o gestor pode estimular a equipe de saúde a cooperar com a criação de uma cultura de segurança.

Sessão pôster

Além da palestra, o Coren-SP participou da sessão pôster do evento. O primeiro secretário da autarquia, Marcus Vinicius de Oliveira, levou um resumo de seu trabalho de mestrado, sobre as denúncias de assédio moral recebidas no âmbito do Coren-SP.

Entre os dados apresentados, destaca-se o fato de 49% dos denunciantes não levarem documentos que comprovem o assédio moral denunciado, o que pode dificultar o andamento do processo.

Entre os termos utilizados nas denúncias, o campeão é assédio moral, que aparece em 96,15% dos processos, seguido por abuso de poder (20,51%), perseguição”(16,7%) e agressão verbal (3,85%).