Coren-SP fala sobre Sepse no IOT da FMUSP – Coren-SP

Coren-SP fala sobre Sepse no IOT da FMUSP

A conselheira Renata Pietro proferiu palestra sobre Sepse, na tarde de quarta-feira (20), para os profissionais do Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). O objetivo é incentivar o diagnóstico e tratamento precoces da doença, visando a redução do número de mortes.

Renata destacou a importância do diagnóstico precoce da sepse para redução do número de mortes

Renata explicou que a doença ataca o sistema imunológico e tem início com uma infecção que compromete o fluxo sanguíneo, trazendo prejuízos à microcirculação. A Sepse é a maior causa de óbitos nos hospitais brasileiros e 17% dos leitos de UTI são ocupados por pacientes com a doença.

Profissionais de Enfermagem do IOT/HC durante palestra sobre Sepse

Para reduzir as mortes, a conselheira recomenda o estabelecimento de protocolos que envolvam toda a equipe, com treinamento específico, inclusive com a sensibilização dos técnicos e auxiliares e Enfermagem sobre a importância de seus papéis. “É preciso aprimorar a triagem e estimular o comprometimento multidisciplinar para que haja o reconhecimento precoce da sepse. Quanto mais rápido conseguirmos atuar, melhor será a condição do paciente”, ressaltou. 

A conselheira Renata Pietro com os profissionais do IOT do Hospital das Clínicas da USP

Renata indicou à plateia consulta ao livreto “Sepse: um problema de saúde pública”, que foi produzido pelo Coren-SP em parceria com o Instituto Latino-Americano de Sepse (ILAS), e está disponível para download. “O livreto apresenta o pacote de cuidados que devem ser tomados nas primeiras três horas, como a coleta de lactato arterial e hemocultura, antes da administração de antibióticos e cristalóides, e como proceder nas seis primeiras horas, quando é preciso usar vasopressores”, detalhou.